A Fibra óptica chegou no Brasil com a promessa de conexões de alta velocidade e acabou se popularizando. Esse tipo de cabeamento realmente tem permitido a disponibilidade de planos de serviços grandes e com um preço bastante interessante aos olhos do consumidor que busca a melhor qualidade, mas nem sempre é essa maravilha toda. Para isso Vamos falar sobre alguns mitos comuns dessa tecnologia.

Vamos apresentar um pouco sobre o funcionamento, algumas características, dúvidas e comparações do serviço de internet anterior (Cabeamento com fios de Cobre) e você entender melhor

 Como funciona?

Os cabos de Fibra óptica possuem vidro em seu núcleo, isso que diferencia dos cabos de cobre que tem a condução por metais. Através dos transmissores os dados são convertidos em feixes de luz e transmitidos por distâncias que vão de 40 ou 80 km sem distorção.

Ao chegar no modem, converte novamente de feixe de luz para dados, sem alteração e com muita velocidade e tem uma capacidade de atingir até 50Gbps. No Brasil atualmente os pacotes disponíveis para área comercial é em torno de 100Mbps a 500Mbps.

Um cabo convencional de cobre precisa de um diâmetro de 6 metros para conduzir 2,5 milhões de chamadas telefônicas simultaneamente, já a Fibra Óptica só precisa de um cabo com o diâmetro de um fio de cabelo para transmitir a mesma quantidade.

A fibra óptica não serve só para potencializar a velocidade da internet, como se popularizou no Brasil, pode ser utilizado em diversos serviços, como: Envio de sinais de TVs, conexão de áudio, ligações telefônicas e muitas outras.

Mitos e Dúvidas comuns:

1 – A fibra óptica sofre interferência ou perda de sinal?

Em relação à os cabos convencionais de cobre, o de fibra óptica tem uma capacidade de resistência maior a deterioração. Não sofre interferências devido ao seu material ser vidro no seu núcleo e materiais isolantes.

Sobre a segurança, a fibra óptica ainda dispara na frente, as transmissões por luz, é preciso ter acesso ao seu núcleo do cabo para interceptar as informações, já no cabo de cobre, eles vazam sinais eletromagnéticos e que um hacker pode acessar informações sem contato físico. Independente de segurança o ideal é usar a criptografia.

2 – O cabo é frágil por ser de vidro?

Pelo contrário, em comparação com os outros tipos, mesmo sua composição seja em vidro, eles são os mais resistentes a tensões e temperaturas elevadas do que os modelos metálicos. Sua camada de proteção é apropriada para deixar mais resistentes para o uso no cotidiano.

O cuidado que se devem ter é na instalação, o técnico deve ser bem cauteloso em quanto instala a fibra óptica, pois na hora que cortar o fio, tem que verificar com muito cuidado e não acabar danificando o núcleo que é feito de vidro e atenção para não que sujeiras não interfiram na transmissão do feixe de luz atrapalhando a estabilidade da conexão.

3 – A fibra óptica vai aumentar a minha velocidade?

Na teoria sim, a internet de fibra óptica pode aumentar a velocidade da sua conexão. Entretanto as operadoras fornecem as velocidades que indeferem das outras que utilizam outros cabos. Por não sofrer interferências e, consequentemente por ser mais estável, a expectativa que as redes novas se sobressaiam é grande.

As redes de fibra óptica não aproveitam todo o seu potencial, pois as operadoras não entregam uma conexão superior, mas a tendência é que futuramente tenham melhorias mais facilmente.

 

4 – O cabo de fibra óptica vai até a minha casa ou para na rua?

Não é o que acontece, mas ela pode chegar a sua casa, depende da forma que cada operadora trabalha para entregar o serviço. Hoje em dia temos 3 principais meios para a sua distribuição, são elas:

  • FTTB (Fiber To The Building) – A rede de fibra óptica chega até a entrada de um edifício. Em um terminal, o acesso será distribuído via cabo metálico para seus usuários;
  • FTTA (Fiber To The Apartment) – A fibra óptica chega até uma central no edifício, e a partir dela o sinal ótico é dividido com splitters para chegar até seus usuários;
  • FTTH (Fiber To The Home) – A rede de fibra óptica chega até a casa de seu usuário em um receptor ótico.

5 – A implementação é mais complexa?

No início as instalações eram muito mais caras, para conseguir uma boa conexão era difícil e eram feitos vários testes, pois os conectores não eram muito sofisticados.

Devido a sua popularização, atualmente foram atualizados os conectores, estão mais parecidos com os tradicionais os Catx, seu preço reduziu e as instalações também, devido a disponibilidade maior de matéria prima.

Outro quesito importante é a manutenção, por ser bastante resistentes, devido a camada de proteção e isolamento, a troca não precisa ser feita com muita frequência, fazendo com que o valor diminua.